E se você não ganhar a medalha?

0
78

 

Na vida, a maioria não ganha medalha.  Você sabia que somente 10% dos atletas que vão para uma Olimpíada ganham medalha? Na edição de Tóquio 2020 participaram cerca de 11 mil atletas, o que significa que somente em torno de 1.100 ganharão medalhas até o fim dos jogos. E o que isso representa para os 9.900 restantes? Para os 90% que se dispuseram a treinar intensamente durante 4 anos, sendo que a grande maioria sabia de antemão que seria muito difícil chegar entre os primeiros? O que você faria se fizesse parte deste grupo?

PARA QUE

Existe algo que é muito maior do que a meta de ficar entre os 3 primeiros. Está ligado com o propósito que colocamos nos nossos objetivos.  E o propósito tem a ver com o PARA QUE, ou seja, para que se deseja o que se deseja. Quando respondemos a essa pergunta estamos atrelando a resposta àquilo que nos motiva, ou seja, aos nossos sentimentos. E os sentimentos são o nosso combustível, a energia da nossa motivação, ou o que Motiva a Ação.

A Jornada precisa ter um sentido. Se só valorizamos a trajetória somente quando atingimos o ápice dos nossos objetivos, que sentido tem a nossa jornada? Se não colocamos a nossa presença em cada etapa do processo, não estamos vivendo o momento e é no momento que a vida acontece! É claro que é muito gratificante quando atingimos o que nos propusemos fazer, mas muitas vezes nos deparamos com circunstâncias alheias à nossa vontade que podem interferir no processo. A nossa atitude frente a essas circunstâncias é que fará toda a diferença!

DICAS

Veja abaixo algumas dicas que podem ajudar a fortalecer a motivação em cada etapa:

  • Pergunte-se: “Para que desejo isso?” – Se o desejo for pautado em uma motivação originada em algo que fará você expandir possibilidades, interagir com a vida, então vá em frente, pois a motivação é saudável e benéfica. Agora, se a resposta estiver relacionada com querer provar que é capaz ou ter o reconhecimento das pessoas, abra-se para conhecer a sua parte que acredita que não é capaz ou que não reconhece seu autovalor e veja o que o(a) impede. É uma tremenda oportunidade de autoconhecimento e de desconstruir crenças limitantes. E saiba que esse tipo de motivação não preenche, mesmo que você atinja o resultado!
  • Estabeleça pequenas metas e reconheça seu esforço e determinação quando as atingir. Isso vai fortalecer o caminho e fazer com que cada etapa valha a pena!
  • Divirta-se no processo! Veja como pode incluir a diversão pelo simples fato de estar fazendo o que faz. O único momento que existe é o presente. Tente ter uma presença com mais qualidade. Se ficamos focados no futuro, pensando se conseguiremos ou não atingir o que queremos, passaremos batido pela vida e desperdiçaremos momentos preciosos que não voltam mais.
  • Avalie o quanto está fazendo o que faz, devido a “ter que” ao invés de “querer”. O que está associado a ter ou dever tem uma motivação tensa, de algo que é uma obrigação. Quando fazemos as coisas por obrigação, a motivação se esvai e a jornada fica sem sentido.
  • Seja protagonista de sua jornada. Mesmo as obrigações do dia a dia podem ser prazerosas. Novamente tudo depende do significado que damos a ela. Como protagonista da nossa história, podemos escolher como podemos passar pelas situações, por mais adversas que sejam.
  • Extraia aprendizados – Em todas as situações, principalmente as mais desafiadoras, temos oportunidades de extrair tremendos aprendizados. Se você encarar que somos cocriadores da nossa realidade, então perceberá como aquilo que se apresenta no externo está a serviço de um aprendizado que podemos extrair, mesmo passando pela dor do desafio. Pergunte-se nesses momentos: “O que preciso aprender aqui?”. E valide o que sente!

Uma vida com propósito é o que desejo para você!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui